Caio Júnior

Luiz Carlos Saroli

Caio Júnior: demitido do Vitória após instabilidade no Brasileirão 2013


Local/ data nascimento:
Cascavel (PR), 08/03/1965


Clubes:
Paraná Clube (2000 a 2003); Cianorte-PR (2003 a 2004); Londrina-PR (mai a jun/2004); Cianorte-PR (2004 a 2005); Gama-DF (2005 a 2006); Paraná Clube ( abr a dez/2006);  Palmeiras (2006 a 2007); Goiás (jan a mai/2008); Flamengo (mai a dez/2008); Vissel Kobe, do Japão (2008 a 2009); Al-Gharafa, do Qatar (2009 a 2011); Botafogo (Mar a Nov/2011) e Grêmio (Dez/2011 a Fev/2012 ); Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos (Mar a Jul/2012); Bahia (Jul a Ago/2012) e Vitória (Dez/2012 a Set/2013) 


Títulos:
Campeão do Qatar (2010), pelo Al-Gharafa; da EAU President’s Cup (2012) pelo Al Jazira e Baiano (2013) pelo Vitória


Histórico:
Da nova geração de treinadores, Caio Júnior obteve destaque em 2006, quando treinou o Paraná Clube. A boa campanha do time no Brasileirão (terminou em quinto lugar), projetou Caio Júnior ao cenário nacional. 

No fim do mesmo ano, foi contratado pelo Palmeiras para a temporada seguinte e passou um ano no alviverde, mas não conquistou títulos.Depois passou por Goiás, Flamengo, Vissel Kobe, do Japão, e Al-Gharafa, do Qatar, onde conquistou o título nacional com o clube.

Em março/2011, foi anunciado como novo técnico do Botafogo, após a saída de Joel Santana, que pediu demissão. Confiante, Caio Júnior aposta na experiência que ganhou fora do país:  ”volto empolgado querendo mostrar trabalho. Ainda não tive oportunidade de falar com ninguém do Botafogo, nem com jogadores, nem direção. Vou acompanhar o jogo de amanhã para ver como está o time”, afirmou, em entrevista coletiva.

Em poucos jogos pelo alvinegro, não evitou a eliminação do time na Copa do Brasil e no Campeonato Carioca. Depois de muitos protestos da torcida, Caio Júnior pediu reforços à diretoria e Renato chegou ao alvinegro. Pronto para a estreia, Caio Júnior está otimista com a qualidade e a calma que o meia trará ao time e pede apoio da torcida no Engenhão. 

Após derrota para o Figueirense, no Engenhão, Caio Júnior lamentou os gols perdidos, mas elogiou a atuação do time e disse que só faltou o gol. No jogo seguinte, contra o América-MG, um novo tropeço culminou com a demissão do técnico. No desembarque do Botafogo, ninguém quis comentar o fato e Caio Júnior se despediu do time no Aeroporto. 

Duas semanas após a saída, foi anunciado como técnico do Grêmio, onde começou a carreira como jogador profissional. Feliz com a oportunidade, chegou falando em conquistar títulos na próxima temporada. Confira!

A pressa da diretoria por resultados no Grêmio acabou atrapalhando os planos de Caio Júnior, que mal teve tempo de implantar seu esquema no tricolor e acabou demitido com menos de dois meses. Pouco depois, em março/12, acertou com o Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. Conquistou a President’s Cup e vinha obtendo bons resultados, mas uma proposta do Bahia o fez retornar ao Brasil.

Com a missão de tirar o tricolor baiano da zona de rebaixamento, Caio Júnior esteve a frente do Bahia por oito partidas: venceu duas, empatou três e perdeu outros três jogos, mas tirou o time da lanterna do Brasileirão e entregou o cargo na 16ª colocação, fora da zona de rebaixamento. Prestigiado pela diretoria, o treinador agradeceu a oportunidade,  alegou questões familiares e pediu demissão.

Deixou o Brasil e foi morar nos Estados Unidos, porém, quatro meses depois, foi contratado pelo Vitória, que conquistou acesso à Séria A do Campeonato Brasileiro. No primeiro semestre, Caio Júnior obteve destaque e levou o rubro-negro ao título estadual após goleada histórica por 7 a 3 sobre o rival Bahia no duelo de  ida. No jogo da volta, bastou um empate por 1 a 1 para comemorar o título.

No Brasileirão, o Vitória começou bem, chegou a brigar pelo G4, mas perdeu rendimento e Caio Júnior acabou demitido após a 18ª rodada, ao ser derrotado pelo Criciúma, no Barradão.

: , , , , , , , , , ,

Um comentário para “Caio Júnior”

  1. julio cesar de souza cabral disse:

    Pensa que sabe, nao sabe nada.

Deixe um comentário